DICAS DE VIAGEM: NOVA ZELÂNDIA! O QUE FAZER NO BELO PAÍS DA OCEANIA

//DICAS DE VIAGEM: NOVA ZELÂNDIA! O QUE FAZER NO BELO PAÍS DA OCEANIA
queenstown

Situado a mais de 5 mil quilômetros do Brasil, país é famoso por suas paisagens naturais, ideais para inúmeras atividades de aventura

A Nova Zelândia é um dos destinos mais procurados por aventureiros, mochileiros e intercambistas do mundo inteiro. Entender tamanho fascínio não é difícil: dividido em duas grandes ilhas (Sul e Norte), o país da Oceania convive em harmonia com sua natureza, que é uma das mais belas e diversificadas do planeta. A variação de paisagens - entre vulcões, fiordes, florestas, praias, montanhas, lagos e outros cenários endêmicos - são um prato cheio para quem deseja relaxar e se aventurar. Tudo isso em um país compacto e muito organizado.

O isolamento geográfico é outra peculiaridade da Nova Zelândia. O país dos "kiwis" (não a fruta, mas a ave símbolo dos neozelandeses) fica no meio do Oceano Pacífico, a mais de dois mil quilômetros da Austrália, que é um dos países mais próximos. Do Brasil, a viagem pode durar mais de 24 horas, contando com as conexões, e a distância entre ambos beira os seis mil quilômetros. No entanto, todo esforço tem recompensa.

Como chegar

Como dissemos acima, as viagens para a Nova Zelândia são muito longas, já que o país da Oceania é um dos mais distantes do Brasil. Não há voos diretos, mas há voos frequentes com conexões em aeroportos da Europa e de países do Pacífico Sul. Companhias aéreas como a TAM, LAN e Qantas realizam voos para as cidades do país.

aeroporto-internacional-de-auckland 2
Aeroporto Internacional de Auckland é o maior do país

Onde ficar

A Nova Zelândia é um destino repleto de paisagens naturais, mas isso não significa que o país não tenha boa infraestrutura hoteleira. A maioria dos hotéis ficam nas grandes metrópoles, como Auckland, Queenstown, Wellington e Christchurch. Nas cidades menores, onde concentram-se boa parte dos parques e penínsulas, também há boas opções de hospedagem.

Gastronomia

A culinária neozelandesa é bastante influenciada pela cultura europeia, sobretudo a britânica. Por isso, prepare-se para os pratos regados a bacon, ovos, carnes de porco e cordeiro, "steaks", salsichas e hambúrgueres. O Fish and Chips (peixe com batatas fritas), muito comum na Terra da Rainha, também é uma iguaria tradicional na Nova Zelândia. As grandes metrópoles contam com boas opções de restaurantes internacionais. Não deixe de visitar um dos milhares de pubs e cafés, que são típicos da cultura neozelandesa.

Como se locomover

A Nova Zelândia tem um sistema de rodovias muito eficiente, e é um dos países mais recomendados para se fazer uma "road trip". No entanto, se você não tem grana ou não pretende alugar um carro, os ônibus também funcionam com excelência e têm preços bastante acessíveis. Para quem deseja otimizar tempo, a dica é viajar de avião, já que é o meio mais rápido de se deslocar da Ilha Sul para a Ilha Norte (e vice-versa). Há boas companhias aéreas que oferecem o serviço low cost, como a Webjet (sim, o mesmo nome daquela antiga companhia brasileira), Air New Zealand, e Grabaseat.

Ainda há a opção de ferry boats (balsas) que realizam a travessia entre as duas ilhas. Algumas cidades também são interligadas por trens

Que tal dirigir por essa trilha cênica?
Que tal dirigir por essa trilha cênica?

O que fazer

Auckland - É a maior cidade da Nova Zelândia. Auckland tem mais de 1,3 milhão de habitantes, quase um quarto da população do país. Situada entre duas baías, a metrópole tem praias selvagens (como as das regiões de West Coast e Hauraki), ilhas isoladas e mais de 50 vulcões inativos ao seu redor. Auckland também é um destino de compras e gastronomia, com inúmeros estabelecimentos concentrados principalmente no centro e na Prince's Wharf, um bairro à beira-mar. Waiatakere é o bairro mais descolado, com lojas, cafés, bares, hotéis e museus da cidade. Já Manukau City concentra os principais parques urbanos e temáticos. Aproveite para conhecer a Sky Tower, o principal arranha-céu da metrópole, que conta com um mirante com vista vertiginosa. Para os amantes de vinhos, Auckland ainda conta com diversas vinícolas que produzem rótulos premiados, concentradas principalmente Waiheke Island.

auckland-concentra-quase-um-terco-da-pop-4
Auckland concentra quase um terço da população da Nova Zelândia

Queenstown - Localizada na Ilha Sul, Queenstown é "somente" considerada a capital mundial dos esportes radicais. E o título é mais do que merecido, já que a cidade tem uma geografia perfeita para a prática de diversas modalidades. No inverno, a região fica rodeada de resorts que esqui. No verão, é possível realizar atividades como bungee jump, mountain bike, trilhas, escaladas, caminhadas, passeios de barco a jato e muito mais. Queenstown também conta com algumas vinícolas.

Queenstown é considerada a capital mundial da aventura
Queenstown é considerada a capital mundial da aventura

Christchurch - Maior cidade da Ilha Sul, Christchurch é também a cidade mais britânica da Nova Zelândia. Suas ruas misturam a clássica influência inglesa com toques contemporâneos, dando um charme inigualável à metrópole. Christchurch também é conhecida como "Cidade Jardim", graças às centenas de parques espalhados por toda a região. No inverno, é possível esquiar nas dezenas de estações de esqui das montanhas da metrópole. No verão, é possível realizar trilhas e caminhadas, sobretudo na região de Port Hills. O surfe também é uma opção requisitada nessa época, principalmente na badalada praia de New Brighton Beach. Aproveite para conhecer o belíssimo Canterbury Museum, um museu construído em 1867.

Já Christchurch é considerada a cidade mais britânica da Nova Zelândia
Já Christchurch é considerada a cidade mais britânica da Nova Zelândia

Wellington - Capital do país, Wellington é talvez a cidade que mais respira cultura de toda a Nova Zelândia. Incrustada entre as montanhas da Rimutaka Ranges e o mar, a cidade fica na Ilha Norte, e foi considerada pela Lonely Planet como a capital mais legal do mundo. Pequena em extensão, Wellington é repleta de museus e galerias de arte, como a premiada Te Papa Museum, e as belíssimas City and Sea Wellington Museum e Wellington City Gallery. Todas contam um pouco da história da Nova Zelândia, e guardam tesouros da região. À beira da baía que cerca a cidade, diversos shoppings, restaurantes e cafés dão o toque de charme, e mostram quem nem só de cultura vive a capital neozelandesa. Em dias de céu claro, é possível, inclusive, avistar a Ilha Sul a olho nu.

Capital do país, Wellington reúne boas praias e excelentes museus
Capital do país, Wellington reúne boas praias e excelentes museus

Península de Coromandel - Situada a cerca de 60 quilômetros de Auckland, a Península de Coromandel é um dos principais destinos ecológicos da Nova Zelândia. Isso porque ela abriga nada menos que a praia mais bonita do país, a Cathedral Cove. Na verdade, trata-se de uma formação rochosa que ganhou um formato peculiar de arco, graças à ação dos ventos e do mar. O cenário pitoresco estampa os principais cartões-postais da Nova Zelândia. Porém, Coromandel também abriga outras praias em seu extenso litoral, além de florestas, montanhas, falésias e enseadas que são um prato cheio para os ecoturistas.

cathedral-cove-e-para-muitos-a-praia-8
Cathedral Cove é, para muitos, a praia mais bonita da Nova Zelândia

Milford Sound - Maior cartão-postal natural da Nova Zelândia, Milford Sound é o principal fiorde do deslumbrante Parque Nacional de Fiordland, na Ilha Norte. Os paredões à beira-mar formam um cenário dos mais deslumbrantes, com montanhas que ultrapassam os mil metros de altura. A melhor maneira de conhecer esse cenário pitoresco é através das embarcações que circulam pelos fiordes. Para os mais aventureiros, é possível remar em caiaques, praticar mergulhos e até tomar banho nas cachoeiras da região. Fique de olho na previsão do tempo, pois esse é o lugar mais chuvoso de toda a Nova Zelândia

milford-sound-e-o-principal-dos-15-fiord-9
Milford Sound é o principal dos 15 fiordes do Nacional Fiordland

Parque Nacional de Tongariro - O mais antigo parque nacional da Nova Zelândia também é um prato cheio para boas aventuras. O local é cercado por montanhas, vulcões ativos e lagos multicoloridos, que propiciam atividades radicais tanto no inverno, quando no verão. Esqui, trekking, caminhadas, escaladas e banho de cachoeira são algumas atrações da região, que conta com excelente infraestrutura hoteleira.

 

100275-tongariro-e-repleto-de-vulcoes-e-lagos-10
Tongariro é repleto de vulcões e lagos multicoloridos

Rotorua - Rotorua é uma cidade próxima a três vulcõess ativo e, por isso, todas as suas principais atrações são relacionadas com esses fenômenos geológicos. A cidade é repleta de lagos vulcânicos, fontes termais e gêiseres com atividade muito intensa. Para os mais corajosos, é possível realizar caminhadas, trekkings, raftings e até mountain bike. No inverno, as montanhas pintadas de neve ganham estações de esqui exuberantes. Para relaxar, Rotorua ainda conta com diversos clubes com piscinas termais e lagoas multicoloridas.

 

Olá, seja bem-vindo! Este aviso é apenas para lembrá-lo de CURTIR a Fanpage da BGLOBAL. Continue ligado nas novidades. Obrigado!

CLOSE